Notícias
Geral
18 de Fevereiro de 2022 Aquaculture Brasil
Saiba como os parâmetros de qualidade da água influenciam na piscicultura

A importância da qualidade da água para o cultivo

O relatório da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO/ONU) de 2017 indica crescimento da produção global de pescados em 2,3%, totalizando cerca de 175 milhões de toneladas. Deste total, 47% é proveniente da criação em viveiros e os restantes 53% da pesca. Ainda assim, o mesmo relatório aponta que em sua maioria (90%), os estoques globais de pescados estão próximos aos limites de exploração e sobrepesca. Estes fatores, em conjunto, demonstram a necessidade de tornar sustentável e otimizar os mecanismos de produção na piscicultura. Práticas para esse fim evolvem a implementação do planejamento e gestão da piscicultura baseados na ciência e tecnologia, permitindo a reposição dos estoques de produção de forma rápida e em conformidade com características biológicas dos peixes.

 

 

O sucesso e aprimoramento das práticas na piscicultura estão diretamente relacionados com as condições físicas, químicas e biológicas da água na qual ela está instalada e nos diversos momentos da cultura: da produção ao transporte.

piscicultura, sustentabilidade e P&D

A qualidade da água está associada com a produtividade e com a saúde dos peixes, pois existem condições ideais de desenvolvimento e que variam conforme a espécie cultivada. Dentre os principais fatores a serem monitorados e estudados estão o pH, temperatura, Oxigênio Dissolvido e resíduos metabólicos, como nitrito e amônia.

Por sua vez, o transporte dos peixes, seja para criação, engorda ou utilização em laboratórios é uma atividade extremamente estressante para os animais. Essa atividade representa um desafio à sua homeostase, podendo gerar danos irreversíveis aos indivíduos, levando até à morte. Monitorar constantemente as condições nos quais ele ocorre é de vital importância: quando transportados de ambientes estáveis (viveiros) para ambientes instáveis (transporte sem condições controladas) ocorre aumento da taxa de mortalidade.

 

 

Como os parâmetros de qualidade da água influenciam a piscicultura?

Temperatura

A temperatura da água é um dos fatores mais importantes nos fenômenos químicos e biológicos existentes em um viveiro. Através dela são reguladas as atividades fisiológicas dos animais aquáticos como: respiração, digestão, alimentação e reprodução. Cada espécie que se pretende cultivar apresenta uma faixa de temperatura ótima, na qual aumenta-se sua taxa de crescimento. A temperatura também está diretamente ligada ao oxigênio dissolvido disponível nos tanques de piscicultura: temperaturas mais elevadas diminuem a concentração de Oxigênio Dissolvido. A faixa de temperatura ideal para espécies tropicais se encontra entre 20°C e 28°C e é na faixa entre 24°C e 28°C em que sua alimentação é otimizadas. Para temperaturas acima de 32°C aumenta-se o risco de morte das espécies.

Oxigênio Dissolvido

 o consumo de oxigênio é vital para a manutenção e crescimento das espécies aquáticas. Como geralmente se encontra com baixa solubilidade na água, a concentração de oxigênio se torna um limitante para a vida subaquática. Se de um lado a produção de oxigênio dissolvido pode ser aumentada pela presença de algas nos tanques, o acúmulo de matéria orgânica e sua decomposição levam ao consumo de O.D. disponível para as espécies cultivadas. Concentrações acima de 5 mg/L são ideais para o desenvolvimento dos peixes e crustáceos e a exposição dos animais aquáticos a concentrações abaixo de 1 mg/L podem ser letais.

Nitrogênio

Amônia e o nitrito são tóxicos para os peixes , mesmo em baixas concentrações, enquanto o nitrato só se torna tóxico em altas concentrações. o uso de rações com teores de proteína que não resultem em quantidades excessivas de resíduos nitrogenados, bem como uma densidade de peixes adequada são fatores que devem ser considerados para controlar o acúmulo desses metabólitos nitrogenados. Outro fator relevante é a utilização de sistemas de fluxo contínuo de água, que permitem eliminar os compostos rapidamente, antes que estes cheguem a níveis elevados. Níveis seguros, para a maior parte das espécies se encontram em 0,03 % para amônia e 0.06 mg/L para nitrito.

 

 

pH

A concentração de bases e ácidos presentes na água são determinantes par alterações no pH, alterado em virtude da respiração, presença de adubo na água, calagem e poluição. Durante o transporte, a diminuição da concentração de Oxigênio Dissolvido, devido à respiração dos peixes, pode também ocasionar diminuição do pH da água. Esta diminuição é um dos fatores gerados de estresse mais comumente associado a aumento da taxa de mortalidade durante o transporte dos peixes. Os níveis ideais de pH se encontram entre 6,0 e 9,0. Quando na faixa entre 4,0 e 6,0 ou 9,0 e 11,0 são aumentados os níveis de estresse das espécies. Fora desses limites, a mortalidade se faz presente.

 

Fonte: Acqua Nativa, Monitoramento ambiental. 

 

Veja também: 

Múltiplos usos da água

Projeto cultura da água: uma peregrinação marinha pela costa brasileira divulgando a aquicultura sustentável

Categorias
Charges
Capa quando o cão pastor é de um produtor de peixes
quando o cão pastor é de um produtor de peixes
Charge Edição nº 22 Publicado em 28/07/2021
Informativo

Assine nosso informativo para receber promoções, notícias e novidades por e-mail.

+55 (48) 9 9646-7200

contato@aquaculturebrasil.com

Av. Senador Gallotti, 329 - Mar Grosso
Laguna - SC, 88790-000

AQUACULTURE BRASIL LTDA ME
CNPJ 24.377.435/0001­18

Top

Preencha todos os campos obrigatórios.

No momento não conseguimos enviar seu e-mail, você pode mandar mensagem diretamente para contato@aquaculturebrasil.com.

Contato enviado com sucesso, em breve retornamos.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Você será redirecionado em alguns segundos!