Notícias
Cultivo de Camarões
06 de Agosto de 2021 Jéssica Brol
Perfil lipídico e a relação com o cultivo de camarões em baixa salinidade

O camarão marinho mais cultivado no mundo, Litopenaeus vannamei, é conhecido por ser um osmorregulador eficiente, tolerando salinidades que variam de 0,5 a 50, de acordo com alguns estudos. Fator esse que contribuiu para que seu cultivo pudesse ser expandido para longe da costa, em águas com baixa salinidade.

Contudo, nem sempre o crescimento e sobrevivência de animais cultivados em baixa salinidade (< 5) é tão positivo, uma vez que há um maior gasto energético para os camarões nesse ambiente em virtude da osmorregulação e adaptação. Alguns pontos, como a nutrição por exemplo, podem ser fundamentais para buscar o máximo desempenho dos camarões cultivados em baixa salinidade.

Dentre os três macronutrientes capazes de fornecer energia, os lipídios podem estar intimamente relacionados à osmorregulação, uma vez estes têm maior densidade de energia e muitos ácidos graxos derivados do metabolismo dos lipídios são essenciais para o crescimento normal e manutenção de várias funções metabólicas essenciais nos camarões. Os fosfolipídios e glicolipídios, por exemplo, são componentes indispensáveis ​​da membrana celular, afetando a capacidade osmorregulatória.

Nesse sentido, um estudo publicado na Frontiers in Physiology teve o objetivo de elucidar o perfil lipídico tanto nas brânquias quanto no músculo de L. vannamei cultivado em baixa salinidade. O estudo teve duração de oito semanas, e os camarões ( com peso médio de 0,75 ± 0,03 g) foram cultivados em duas salinidades diferentes, 3 e 30 (controle).

Dentre os principais resultados, pode se destacar que o ganho de peso dos animais cultivados em salinidade 30 foi maior do que o observado em salinidade 3, o que mostra um melhor desempenho quando os animais são cultivados próximo do seu ponto isosmótico. Quanto a sobrevivência, não houve diferença significativa entre os tratamentos.

Quanto aos lipídeos, um número maior de metabólitos lipídicos diferenciais foi identificado nas brânquias em comparação com o músculo em camarões na salinidade 3 em relação ao camarão controle na salinidade de 30, que pertenciam a 11 e 6 classes de lipídeos, respectivamente. Destes lipídios, fosfatidilcolina, fosfatidilinositol, ácido fosfatídico, fosfatidiletanolamina e triglicerídeo foram os principais lipídios encontrados tanto na brânquia quanto no músculo do camarão, independentemente da salinidade.

Os lipídios significativamente alterados foram relacionados à estrutura da biomembrana, função mitocondrial, utilização de ácidos graxos, suprimento de energia ou conteúdo de osmólito orgânico, para melhorar a capacidade osmorregulatória dos animais. Além disso, ficou claro que a brânquia, por seu contato direto com o ambiente, demanda mais energia do que o músculo em condição de baixa salinidade, uma vez que trabalham ativamente na osmorregulação, processo que depende de energia.

Por fim, os autores evidenciam que a mudança no perfil lipídico é uma estratégia fisiológica significativa empregada pelos camarões para lidar com o estresse de baixa salinidade, e os resultados encontrados podem fornecer novos insights sobre a importância dos lipídios para osmorregulação de L. vannamei e aprimorar as dietas para estas condições.

O estudo completo você pode conferir clicando aqui.

Veja também:

Socil: Soluções nutricionais de alta performance

Influencia do biomineral Lithothamnium, bicarbonato de sodio e hidróxido de cálcio e magnésio sobre a dureza total, alcalinidade e ph em água oligohalina

 

 

Categorias
Charges
Capa quando o cão pastor é de um produtor de peixes
quando o cão pastor é de um produtor de peixes
Charge Edição nº 22 Publicado em 28/07/2021
Informativo

Assine nosso informativo para receber promoções, notícias e novidades por e-mail.

+55 (48) 9 9646-7200

contato@aquaculturebrasil.com

Av. Senador Gallotti, 329 - Mar Grosso
Laguna - SC, 88790-000

AQUACULTURE BRASIL LTDA ME
CNPJ 24.377.435/0001­18

Top

Preencha todos os campos obrigatórios.

No momento não conseguimos enviar seu e-mail, você pode mandar mensagem diretamente para contato@aquaculturebrasil.com.

Contato enviado com sucesso, em breve retornamos.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Você será redirecionado em alguns segundos!