Colunas
Recirculating Aquaculture Systems
22 de Agosto de 2021 Marcelo Shei
RAS e consumo de energia durante a bandeira vermelha

 

A principal característica de um sistema de Aquicultura em Recirculação (RAS) está na reciclagem do efluente dos tanques de cultivo, resultando na diminuição da demanda de água nova. Apesar de remeter a ideia de que toda a água é reciclada, um RAS é idealizado para diminuir a necessidade de trocas, mas não a sua ausência.

Independentemente de quais métodos ou processos serão utilizados em um sistema de recirculação (RAS), a demanda de energia elétrica é comum a todos. A matriz energética e os recursos utilizados para a sua transformação ditam o impacto ambiental e também os custos que chegam ao consumidor. A demanda continua por movimentação de água, aeração/oxigenação e controle térmico da água são os principais pontos de consumo em um RAS. Além disso, o método de produção, a espécie e o clima são alguns dos fatores que influenciam a demanda de energia e o custo de produção.

De forma geral, quanto maior for a densidade de estocagem, maior é o impacto da energia no custo produtivo. Sistemas mais intensos demandam mais circulação de água para a remoção de sólidos e nitrogenados e também mais oxigenação. Com isso, é crucial que estruturas comerciais tenham de buscar a maior eficiência energética possível. 

 

 

Nos sistemas de bombeamento, a utilização de inversores de frequência possibilita adequar a velocidade dos motores e as curvas de rendimento das bombas. Os sistemas mais modernos são capazes de manter um fluxo programado na menor velocidade possível. Com isso, é possível alcançar uma redução de cerca de 20% no consumo elétrico.

 

Quanto ao aquecimento da água, o uso de bombas de calor representa o método elétrico mais eficiente para o controle térmico. O isolamento das estruturas e a utilização de equipamentos mais modernos resultam em menor consumo e manutenção. Nas estruturas de maior densidade de estocagem, onde os sistemas de aeração convencionais não são suficientes para fornecer todo o oxigênio demandado, a utilização de oxigênio puro passa a ser uma alternativa. Nesses casos, a instalação de uma usina de O2 pode ser necessária. A utilização de métodos adequados de dissolução de O2 e de produção conseguem diminuir a demanda de produção e o consumo da usina. 

Para as estruturas novas ou antigas o ideal é conseguir realizar a medição do consumo elétrico de cada um dos componentes em tempo real. Dessa forma é possível analisar os equipamentos de maior consumo e traçar medidas de redução ao longo do ciclo produtivo ou até mesmo diário.

 

 

Faça o download e confira o texto completo com todas as ilustrações. Clique aqui

Anterior
Próxima
Patrocínio do colunista Marcelo Shei
Colunista
Capa do colunista Marcelo Shei
Marcelo Shei

Marcelo Shei é Biólogo Marinho, Doutor em Aquicultura pela FURG. Fundador da Altamar Equipamentos Aquáticos, empresa que atua na distribuição e desenvolvimento de equipamentos para bombeamento, filtração, desinfecção de água para Aquicultura. Em campo, possui experiência em larvicultura de organismos aquáticos, principalmente peixes marinhos, organismos-alimento e espécies ornamentais.

Categorias
Charges
Capa quando o cão pastor é de um produtor de peixes
quando o cão pastor é de um produtor de peixes
Charge Edição nº 22 Publicado em 28/07/2021
Informativo

Assine nosso informativo para receber promoções, notícias e novidades por e-mail.

+55 (48) 9 9646-7200

contato@aquaculturebrasil.com

Av. Senador Gallotti, 329 - Mar Grosso
Laguna - SC, 88790-000

AQUACULTURE BRASIL LTDA ME
CNPJ 24.377.435/0001­18

Top

Preencha todos os campos obrigatórios.

No momento não conseguimos enviar seu e-mail, você pode mandar mensagem diretamente para contato@aquaculturebrasil.com.

Contato enviado com sucesso, em breve retornamos.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Você será redirecionado em alguns segundos!