Colunas
Nutrição Aquícola
13 de Agosto de 2021 Artur Nishioka Rombenso
Pesquisa em macronutrientes na nutrição aquícola

 

No início de fevereiro publicamos, em colaboração com pesquisadores da Austrália, Brasil, China e México, um artigo na Global Aquaculture Advocate sobre as tendências das pesquisas em macronutrientes (proteína, lipídeo e carboidrato) na nutrição aquícola. Acredita-se que a pesquisa em nutrição aquícola concentra-se principalmente na área proteica, seguida pelos lipídeos, enquanto que os carboidratos são comumente negligenciados. Esse impulso está associado à relação direta entre proteína e crescimento animal, à elevada demanda de proteína por animais aquáticos e sua alta contribuição para o custo final da ração. Para tal fizemos um levantamento bibliográfico  sobre o tema no Scopus, abrangendo o período compreendido entre 1990 e 2020 e, como esperado, encontramos 10.852, 6.098 e 1.363 artigos científicos publicados em inglês relacionados, repectivamente, a proteínas, lipídeos e carboidratos (Figura 1). Um total de 807 artigos foram encontrados contendo esses três macronutrientes num único estudo, porém isso não significa que os mesmos tenham sido estudados simultaneamente. Além disso, uma variedade de tópicos relacionados a proteínas e lipídeos, tais como sua fonte, inclusão alimentar ideal e substituição de farinha ou óleo de peixe foram observados nessa busca bibliográfica. 

 

 

Também verificamos que o número total de artigos para as principais espécies de peixes criadas mundialmente relacionados com proteínas, lipídeos e carboidratos (5.594, 3.020 e 609) foram superiores aos das espécies de crustáceos (973, 469 e 122, respectivamente). Em peixes marinhos e espécies de água fria, a diferença entre a pesquisa de lipídeos e proteínas é reduzida, porém a proteína ainda é a prioridade. Curiosamente, em salmões (do Atlântico e chinook), o número de artigos relacionados a lipídeos e proteínas foi semelhante, devido à importância dos lipídeos na nutrição dessas espécies e ao elevado interesse do consumidor pelo ácidos graxos ômega-3.

 

 

Apesar dessa hegemonia proteica, é importante refletirmos em termos globais sobre as principais espécies produzidas e a composição das respectivas rações (nível de proteína, lipídeo e carboidrato) em termos de volume. Assim por exemplo, considerando o volume das principais espécies de aquicultura produzidas (carpas 31,5%; tilápia 13,2%; e outras espécies como bagre, camarão marinho, espécies de peixes marinhos e salmão representando 37,6% do volume global) – segundo a Organização para Alimentos e Agricultura de Nações Unidas (FAO 2019) - ingredientes à base de lipídeos e carboidratos contribuem pelo menos com a metade dos custos globais de produção de alimentos aquáticos. Esses macronutrientes representam um componente econômico essencial, não apenas para as fábricas de rações, mas para toda a indústria de aquicultura.

Pesquisas futuras focadas em melhorar não apenas a produtividade animal - mas também a eficiência de custos, os impactos na saúde e no meio ambiente - precisarão mudar o foco das fontes ricas em proteínas e considerar cada vez mais o papel dos lipídeos e carboidratos em formulações futuras. 

Espero ter apresentado um novo ponto de vista e dado um exemplo da importância de pensarmos e questionarmos além do status quo. Para mais detalhes sobre a metodologia, espécies investigadas, resultados e discussões, recomendo a leitura de nosso artigo*.

*Rombenso, A.N., Esmaeili, M., Araujo, B., Emerenciano, M., Truong, H., Viana, M.T., Li, E., Simon, C., 2021.  Global Aquaculture Advocate. 8 February 2021

 

 

Faça o download e confira o texto completo com todas as ilustrações. Clique aqui

 

 

 

Anterior
Próxima
Patrocínio do colunista Artur Nishioka Rombenso
Colunista
Capa do colunista Artur Nishioka Rombenso
Artur Nishioka Rombenso

Artur N. Rombenso é oceanólogo Brasileiro de 28 anos e doutor em Nutrição aquícola pela Southern Illinois University Carbondale – EUA. Atualmente é professor/pesquisador no Instituto de Oceanografia na Universidade Autônoma de Baja California – México. Nos últimos 5 anos o Artur vem trabalhando com nutrição de peixes com ênfase em fontes alternativas de lipídeos e requerimentos de ácidos graxos. Possui vários trabalhos publicados em revistas científicas e técnicas, nacionais e internacionais, e ganhou 5 prêmios de melhor trabalho científico durante seu doutorado. Possui também grande experiência internacional participando e colaborando em projetos de pesquisa e extensão em mais de 7 países. Além do lado acadêmico, Artur auxilia na coordenação de pesquisa, extensão e produção de uma maricultura em Angra dos Reis – RJ. As principais linhas interesse se extendem desde nutrição (organismos aquáticos e humanos) à aquacultura, maricultura, lipídeos, ácidos graxos, e qualidade nutricional de frutos do mar. 

E-mail: arturnr@yahoo.com.br

Skype: artur.nishioka

CV: Research Gates

Categorias
Charges
Capa quando o cão pastor é de um produtor de peixes
quando o cão pastor é de um produtor de peixes
Charge Edição nº 22 Publicado em 28/07/2021
Informativo

Assine nosso informativo para receber promoções, notícias e novidades por e-mail.

+55 (48) 9 9646-7200

contato@aquaculturebrasil.com

Av. Senador Gallotti, 329 - Mar Grosso
Laguna - SC, 88790-000

AQUACULTURE BRASIL LTDA ME
CNPJ 24.377.435/0001­18

Top

Preencha todos os campos obrigatórios.

No momento não conseguimos enviar seu e-mail, você pode mandar mensagem diretamente para contato@aquaculturebrasil.com.

Contato enviado com sucesso, em breve retornamos.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Você será redirecionado em alguns segundos!