Colunas
Empreendedorismo Aquícola
12 de Abril de 2020 André Camargo
Gerando renda e inclusão

A carcinicultura, muitas vezes chamada de elitista, é a estrela desta edição. Uma atividade que veio para transformar a realidade de centenas de pessoas no sertão alagoano. Numa região onde a água de superfície apresenta níveis de sal que a deixava imprópria até para o consumo humano, a sociedade se reinventa e encontra um caminho interessante para diversas famílias de produtores rurais.

Graças a uma parceria muito interessante entre o produtor rural, técnicos do setor privado e compradores interessados em um produto de qualidade, nasceu a produção de camarões, Litopenaeus vannamei, em plena aridez do estado de Alagoas.

Os produtores rurais ávidos a desenvolver uma atividade que fosse viável para aquelas condições tão extremas em que vivem, acreditaram no projeto e cuidaram do mesmo como se deve ser. Em pequenas propriedades adaptaram seus viveiros a uma realidade de pouca água e com a recirculação da mesma, deram condições adequadas à produção de camarões marinhos. Hoje, com muita dedicação, envolvem toda a comunidade para atingir índices zootécnicos que até os maiores especialistas no setor podem duvidar. O município de Coité do Noia, situado a pouco mais de 100 km da capital Maceió, registra despescas atrás de despescas em viveiros escavados, produzindo ao redor de 5 kg/m3/ano.

 

 

Por sua vez, um grupo de técnicos ousados e cheios de vontade, capitaneados pelos engenheiros de pesca Iury Melo e Lucas Claudino, são os responsáveis pelos excelentes números atingidos naquela região. O modelo de parceria que remunera os técnicos no sucesso da atividade veio para ficar e tem dado muito certo até o momento. 

Já os compradores de camarão, habituados às dificuldades de montar suas cargas em outras regiões do país, encontraram aqui uma situação extremamente favorável, garantindo um camarão de extrema qualidade, com cargas organizadas e padrões de acordo com as expectativas do mercado em que trabalham, no centro-sul do Brasil.

Juntando as três bases do tripé mencionado, não podemos deixar de usar o exemplo para mostrar a viabilidade nas três esferas: econômica, pois hoje trouxe renda a uma região que anteriormente tinha dificuldades; social, pois hoje as famílias envolvidas com o processo estão todas nas margens do viveiro e criando alternativas para todos; e ambiental, pois o modelo trouxe uso a um recurso hídrico que tinha problemas de salinidade e escassez.

Por fim, só tenho que parabenizar a todos os envolvidos com um processo tão saudável. Garanto a você, amigo leitor, que nestes 20 anos de aquicultura brasileira, Coité do Noia entrou para minha história como uma das experiências mais interessantes que já vivi.

 

Faça o download e confira o texto completo com todas as ilustrações. Clique aqui

Anterior
Próxima
Patrocínio do colunista André Camargo
Colunista
Capa do colunista André Camargo
André Camargo

– Zootecnista
– Pós-graduado em Gestão Agro-industrial pela UFLA.
– Mestre em Aquicultura pelo Caunesp.
– Sócio fundador da Escama Forte.

Categorias
Charges
Capa Aeradores Possuídos
Aeradores Possuídos
Charge Edição nº 11 Publicado em 01/04/2018
Informativo

Assine nosso informativo para receber promoções, notícias e novidades por e-mail.

+55 (48) 9 9646-7200

contato@aquaculturebrasil.com

Av. Senador Gallotti, 329 - Mar Grosso
Laguna - SC, 88790-000

AQUACULTURE BRASIL LTDA ME
CNPJ 24.377.435/0001­18

Top

Preencha todos os campos obrigatórios.

No momento não conseguimos enviar seu e-mail, você pode mandar mensagem diretamente para contato@aquaculturebrasil.com.

Contato enviado com sucesso, em breve retornamos.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Preencha todos os campos obrigatórios.

Você será redirecionado em alguns segundos!