Principal Artigos PAQ-Gro na alimentação da tilápia-do-Nilo (Oreochromis niloticus)
0

PAQ-Gro na alimentação da tilápia-do-Nilo (Oreochromis niloticus)

PAQ-Gro na alimentação da tilápia-do-Nilo (Oreochromis niloticus)
0

A tilapicultura é a atividade aquícola que têm apresentando crescimento contínuo nos últimos anos no Brasil, se demonstrando como uma opção rentável, que dinamiza a economia regional, com oferta de alimento seguro, que complementa a demanda por proteínas de origem animal para a população. A expansão da criação de tilápia ocorreu a partir do modelo de criação em gaiolas (tanques-rede), instaladas principalmente em grandes reservatórios de usinas hidroelétricas. Contudo, atualmente novos pólos de criação que utilizam modelos de criação em viveiros escavados têm emergido pelo Brasil.

 

 

Dentre as regiões de maior produção no estado de São Paulo, destaca-se a região Noroeste Paulista como uma das maiores produtoras de tilápia. Em sua produção, a versatilidade em uso de ingredientes e aditivos se faz necessário de modo a obter-se uma maior eficiência produtiva, menores problemas sanitários e consequentemente maior rentabilidade.

A Phibro, empresa de importante participação no setor de produção animal busca de forma contínua a melhoria de seus produtos, os quais já são amplamente utilizados na alimentação da tilápia do Nilo e aquacultura em geral. Nesse propósito, o Laboratório de Nutrição de Peixes do Instituto de Pesca realizou esta pesquisa de forma a avaliar o produto PAQGro na alimentação da tilápia do Nilo nas fases iniciais em laboratório e terminação em tanques-rede no reservatório de Ilha Solteira (SP).

A Phibro, empresa de importante participação no setor de produção animal busca de forma contínua a melhoria de seus produtos.

Metodologia

O experimento foi realizado no Laboratório de Nutrição do Instituto de Pesca APTA/SAA., município de São José do Rio Preto e na unidade de pesquisa do Instituto de Pesca em parceria com o Grupo Ambar Amaral em Santa Fé do Sul, reservatório de Ilha Solteira, ambos no estado de São Paulo, Brasil. As unidades de pesquisa são de coordenação do pesquisador Dr. Giovani Sampaio Gonçalves, do Instituto de Pesca, de São José do Rio Preto (SP) o qual desenvolveu o projeto em parceria com a empresa Phibro e Fundepag.

 

Avaliações em laboratório

Foram utilizados 12 tanques de PVC com volume de 310 litros, sendo estes abastecidos individualmente com água em sistema de recirculação com filtro físico, biológico, controle de temperatura (26-28ºC) e oxigenação por meio de compressores radiais. A taxa de recirculação de água em cada tanque foi de 12 vezes ao dia e durante o período experimental foram monitorados os valores de temperatura e oxigênio e semanalmente as variáveis de pH, amônia, nitrito e nitrato.

O período do experimental na fase de desempenho foi de 75 dias. Durante a condução experimental foram realizadas limpezas semanais do fundo dos tanques, possibilitando a manutenção e troca parcial da água (20 a 30%), mantendo desta forma dentro dos parâmetros ideais para a espécie em estudo. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com 2 tratamentos e 6 repetições. Foram utilizados 32 peixes por unidade experimental com peso médio inicial de 18,0g. Todos os peixes passaram por um período de adaptação (15 dias) e 3 classificações (1 na piscicultura onde foram obtidos os peixes e 2 em laboratório já no local de realização do experimento) de forma a obter um lote homogêneo e em boas condições de saúde. Nos primeiros 5 dias de experimento os peixes mortos foram substituídos por peixes de mesmo peso, uma vez que, pode ter efeito do manejo no momento da classificação.

 

Avaliações a campo – tanques-rede

Foram utilizados 8 tanques-rede com volume de 18m3 (3x3x3m) os quais faziam parte de uma piscicultura com 200 tanques-rede e produção de 50 toneladas/mês de tilápia. A unidade de pesquisa e produção está localizada no reservatório da usina hidrelétrica de Ilha Solteira no município de Ilha Solteira – SP – BRA.

O período experimental na fase de desempenho em tanque-rede foi de 72 dias, sendo o delineamento experimental inteiramente casualizado com 2 tratamentos e 4 repetições. Foram utilizados em média 2.250 peixes por unidade experimental com peso inicial de 550,0g. Os peixes foram classificados e contados em mesa classificadora e para o peso inicial e final foram realizadas biometrias de 100 peixes por unidade experimental.

 

Confecção das dietas

  • Em laboratório

As rações foram formuladas com 40% de PB (3 g/kg de PAQ-Gro) e 36% de PB (5 g/kg de PAQ-Gro) para peixes de 20 a 50g e 50 a 200g, respectivamente, variando apenas a inclusão do aditivo em contrapartida a ração controle (sem aditivo). A alimentação foi realizada à vontade até a saciedade e realizado 8 vezes ao dia, evitando possíveis sobras na água.

Para a produção das rações utilizadas no laboratório, foram utilizados alimentos provenientes de fábricas de ração de forma a possibilitar condições semelhantes à de campo, sendo estas moídas (0,5mm) em moinho de martelos e extrusadas (2 e 4mm) em extrusora comercial (Ferraz®E62) com capacidade de 80kg/h, conforme o tamanho do peixe em experimento.

  • Nos tanques-rede

Para o experimento em tanques-rede, foi utilizada uma ração comercial 32% PB (fórmula previamente conhecida) sem adição de nenhum aditivo ou qualquer outro composto que pudesse interferir no desempenho e saúde dos peixes. As rações foram extrusadas em equipamento industrial (Ferraz®E240) com capacidade para 6 toneladas/h. Na fase avaliada em tanque-rede, a inclusão foi de 5 g/kg de PAQGro para peixes acima de 500g e a alimentação (taxa de arraçoamento) foi com base em uma tabela de alimentação utilizada na piscicultura, corrigida com base no crescimento dos peixes, perdas de tratos por motivos de impossibilidade (chuva, ventos etc) e possíveis sobras de ração.

 

Parâmetros zootécnicos

Ao final do período experimental os peixes foram anestesiados em banho de imersão com óleo de cravo (50 mg/L) e logo depois medidos e pesados individualmente. Com os dados coletados foram avaliados os seguintes parâmetros: sobrevivência; peso final; comprimento final; comprimento padrão; altura; conversão alimentar; consumo de ração.

 

Resultados

  • Parâmetros de qualidade de água

Os parâmetros de qualidade de água durante o período experimental com o sistema de recirculação foram mantidos nos níveis aceitáveis para a espécie. Foram observados valores médios de 6,5 a 7,2 para pH; 0,019 a 0,25 (mg/L) para amônia total; 0,022 a 0,30 (mg/L) para nitrito (NO2) e 0,015 a 0,30 (mg/L) para nitrato (NO3). Na avaliação a campo os valores de temperatura compreenderam entre 27 e 30°C e oxigênio 5,2 e 6,8mg/L.

  • Desempenho zootécnico em laboratório

Os resultados dos parâmetros zootécnicos avaliados estão expressos a seguir: (faça o download do artigo para visualizar as gráficos)

  • Desempenho zootécnico em tanques-rede

Resultados dos parâmetros zootécnicos avaliados no cultivo de tilápia do Nilo em tanques-rede alimentadas com dieta controle e PAQ-Gro: (faça o download do artigo para visualizar as gráficos)

 

Considerações finais

Com base nos resultados obtidos nesta pesquisa, consideramos o produto PAQ–Gro uma ferramenta nutricional importante para o aumento nos resultados de performance da tilápia do Nilo. Em ambos os experimentos foram verificados valores de ganho em biomassa de peixes superior e conversão alimentar menor quando comprado ao tratamento sem a suplementação. Análises de viabilidade econômica, assim como de parâmetros histológicos e

imunológicos podem colaborar na melhor interpretação do seu modo de ação e desta forma maximizar o seu potencial uso em rações comerciais para a tilápia do Nilo. Esse conjunto de fatores possibilitarão melhores resultados zootécnico.

 

Autor:
Giovani Sampaio Gonçalves
Pesquisador do Instituto de Pesca do Estado de São Paulo
gsgoncalves@pesca.sp.gov.br

Faça o download e confira o texto completo com todas as ilustrações. Clique aqui