Principal Notícias Cultivo de Camarões GOAL 2019: Revisão global da produção de camarão marinho

GOAL 2019: Revisão global da produção de camarão marinho

GOAL 2019: Revisão global da produção de camarão marinho
0

A pesquisa GOAL (Global Outlook for Leadership Aquaculture Alliance) 2019 sobre tendências de produção de camarão entrevistou participantes da indústria na Ásia/Oceania (43 respostas), América Latina (39 respostas) e África (2 respostas). A Figura 1 resume as estimativas de produção para a produção global de 2010 a 2021. Os dados de 2010 a 2017 representam uma combinação de estimativas da FAO (2019) e da pesquisa GOAL (2011 a 2018), enquanto os dados de 2018 a 2021 foram obtidos na pesquisa GOAL 2019.

goal-2019-revisao-global-da-producao-de-camarao-marinho

Com base em pesquisas anteriores, o setor mostrou sinais de recuperação em 2016 e 2017, resultando em uma taxa de crescimento anual composta de 2,2% para o período de 2012 a 2017 – muito abaixo dos 6,3% estimado pela FAO-. Os entrevistados relataram um aumento na produção em 2018 (11% em relação a 2017) e esperam ver um crescimento maior até 2021.

Na Ásia, a produção atingiu 3,75 milhões de toneladas em 2018 e potencialmente 4,00 milhões de toneladas em 2021. O crescimento será mais forte no Vietnã e na China, como pode-se observar na Figura 2. Já a Indonésia estima produzir 450.000 toneladas em 2021, ou seja, 18% menos do que a produção relatada em 2017. A Índia atingiu um nível histórico de produção de 700.000 toneladas em 2018, mas espera que a produção cairá para 600.000 toneladas em 2021. E a Tailândia deverá atingir 330.000 toneladas em 2021, representando apenas 56% do ano de 2010.

goal-2019-revisao-global-da-producao-de-camarao-marinho

Na América Latina, o desenvolvimento mais importante da região é o crescimento espetacular da indústria equatoriana de camarão, a produção deverá atingir 700.000 toneladas em 2021. Esse crescimento faria do Equador o terceiro maior produtor do mundo, depois da China e do Vietnã. O Equador continuará sendo responsável por mais da metade do suprimento de camarão cultivado no Hemisfério Ocidental.

No México, espera-se 180.000 toneladas para 2021, e no Brasil 110.000 toneladas. Peru, Venezuela e Guatemala também relataram expectativas positivas de crescimento até 2021; por outro lado, espera-se muito menos crescimento em Honduras, Nicarágua, Panamá e Colômbia. No geral, a região produziu 920.000 MT em 2018 e espera atingir 1,18 milhão de toneladas em 2021.

Mais uma vez, as doenças foram claramente identificadas pelos entrevistados asiáticos como o principal desafio enfrentado pelo setor. Por outro lado, os entrevistados da América Latina destacaram preços de mercado como a questão mais importante. Em média, os entrevistados asiáticos tendiam a ser mais otimistas do que os produtores de outros países sobre as condições econômicas globais e a força do mercado de camarão em 2020.

Fonte: Global Aquaculture Alliance