Principal Notícias Cultivo de Peixes Após dois anos do derramamento de óleo em Portugal, o caso será julgado

Após dois anos do derramamento de óleo em Portugal, o caso será julgado

Após dois anos do derramamento de óleo em Portugal, o caso será julgado
0
  • O derramamento afetou cultivo de robalos da Seaculture

O Tribunal de Setúbal vai começar a julgar em maio o primeiro crime de poluição com perigo comum em Portugal, num caso referente ao derramamento de 30 toneladas de óleo combustível no Porto de Sines em outubro de 2016 durante uma operação de abastecimento de combustível.

O derramamento ocorreu em outubro de 2016. O navio carregava um tanque com óleo combustível que apresentava três fissuras entre 26 e 40 centímetros na base. Esse óleo escorreu de encontro a água de lastro que estava sendo esvaziada, enquanto abasteciam o navio. O derrame durou cerca de uma hora, quando um tripulante notou um forte cheiro de combustível e ordenou a imediata interrupção do reabastecimento.

O derrame estendeu-se até às rochas e molhes do terminal XXI do Porto de Sines e às Praias de São Torpes e Burrinhos, atingindo uma produção de robalos da Sociedade Seaculture, do Grupo Jerónimo Martin. Foram recolhidos cerca de 20 a 30 litros do produto. O prejuízo decorrente da substituição das gaiolas de criação foi aproximadamente 96 mil euros.

julgamento-do-caso-de-derrame-de-30ton-de-oleo-combustivel-em-portugal