Principal Colunas Por que o Brasil exporta tão pouca tilápia?

Por que o Brasil exporta tão pouca tilápia?

Por que o Brasil exporta tão pouca tilápia?
0

A tilápia já está bem avançada neste quesito de exportação, principalmente por ser um produto muito comum no mercado internacional. Mas o que nos falta para conquistar esse mercado internacional, então de tilápia? A primeira resposta é bem simples, necessitamos de competitividade, muita competitividade. Essa competitividade tanto dentro das fazendas como fora das fazendas. Nas condições atuais não conseguimos sequer chegar perto de chineses, vietnamitas e equatorianos por exemplo, que hoje usam soja brasileira para a produção de seus peixes.

Dentro da fazenda as melhorias de alguns anos para cá já estão ocorrendo. De maneira básica sãos as questões relacionadas à zootecnia como manejo, nutrição, genética, entre outros que podem colaborar de forma significativa com os índices gerais de produtividade e desta forma dar ao Brasil mais competitividade. Podemos considerar que estamos apenas começando e ainda temos muito a avançar em equipamentos, sistemas de produção, melhoramento genético e etc.

Fora da fazenda alguns pontos se mostram como os mais importantes quando pensamos em exportação de tilápias:

Concluindo, o Brasil encontra-se muito bem em relação ao desenvolvimento de questões zootécnicas, porém encontra-se extremamente defasado em relação às questões externas à produção. O Drawback ainda é um estudo da EMBRAPA, o Serviço de Inspeção Federal dificulta as exportações por falta de conhecimento e pessoal, o empresário do setor ainda é muito pequeno e não vê com bons olhos os processos de exportação e assim seguimos, porém, a pesca mundial está entrando em colapso, o interesse por espécies que utilizam mais baixos níveis de proteína são uma realidade na Europa e a solidificação da tilápia no mercado americano trazem excelentes perspectivas para nossos produtos. Quando pensarmos o que fazer, devemos priorizar o mercado americano no curto prazo, a América Latina no médio prazo, pois Chile, Colômbia entre outros já compraram do Brasil e possuem a tilápia em suas realidades e a Europa como o passo fundamental a um prazo mais alongado, pois aos poucos a tilápia vai entrando e nós temos condições de atender aos padrões de qualidade impostos por eles.