Principal Artigos BluEco Net – Nova rede entre Brasil-Alemanha
0

BluEco Net – Nova rede entre Brasil-Alemanha

BluEco Net – Nova rede entre Brasil-Alemanha
0

Nova rede auto-sustentável de pesquisa e desenvolvimento bilateral em bioeconomia entre Brasil-Alemanha

*Fabio Pereira e Björn Suckow
TTZ Bremerhaven
*FPereira@ttz-bremerhaven.de

 

A BluEco Net nasceu de uma cooperação prévia entre a TTZ com 5 outros parceiros da região Noroeste Alemã, que decidiram reunir suas atividades de pesquisa focando no Brasil, gerando assim sinergias através de infra-estrutura e know-how complementar na Alemanha. A rede está desenvolvendo seu caráter virtual e institucional para acesso e visibilidade para o exterior, com sua estrutura de gestão própria. A rede já possui uma diretoria interdisciplinar e bi-nacional com representantes acadêmicos e da indústria (min. 25% PME). Assim, as habilidades interdisciplinares são usadas para desenvolver temas de pesquisa relevantes e encontrar soluções eficazes, holísticas, e especialmente eco-eficientes, considerando principalmente a viabilidade das tecnologias a serem investigadas, almejando reduzir barreiras econômicas o Brasil relacionadas ao custo de produção e operação e longo retorno de investimento, incluindo também as questões ambientais e sociais.

Desenvolvimento

A rede oferece o acesso a infraestrutura e instalações de pesquisa no Brasil e Alemanha, além de apoio à mobilidade de pesquisadores e estudantes (mestrado e doutorado), incluíndo apoio financeiro a estudantes alemães e busca de financiamento para pesquisadores brasileiros, apoio financeiro de workshops internacionais, iniciação de projetos bilaterais de pesquisa e desenvolvimento, estabelecimento de cursos acadêmicos bilaterais e double degrees, além de relações comerciais entre empresas dos dois países. A rede definiu as 3 áreas temáticas especializadas abaixo e em cada uma delas, as seguintes áreas de pesquisa serão almejadas:

1.) Segurança de alimentos – criação de raças robustas, ricas em nutrientes, resistentes, desenvolvimento de sistemas econômicos regionais, estudo das influências ambientais, técnicas de análise automática, tecnologia de sensor otimizado para a elucidação sistemática das relações entre os fatores ambientais e de produção;

2.) Produção sustentável – conceitos inovadores de criação animal, pecuária e nutrição, pelo ponto de vista ecológico, econômico, social e ético, aumento de produção responsável, desenvolvimento de sistemas de transporte de animais, redução específica das emissões, conceitos de reuso de materiais a base de biomassa e resíduos, análise de recursos de fonte, gestão sustentável da biodiversidade, a otimização da utilização de nutrientes, os métodos modernos para a redução de antibióticos e produtos químicos (por exemplo, sensores de controle), evitando a introdução e propagação de organismos nocivos, a conservação dos serviços de ecossistemas;

3.) Alimentos seguros e saudáveis – Melhorar a qualidade alimentar, embalagens inteligentes, marcadores genéticos para determinação de sua origem, soluções sustentáveis, refrigeradores e cadeias de transporte em áreas rurais, o uso de materiais e resíduos, a evidência de contaminantes / agentes patogénicos.

Kick-off meeting no Brasil

De 19 ao 23 de março, o consórcio alemão esteve no Brasil para a primeira reunião da rede conjuntamente com os parceiros brasileiros. A instituição anfitriã e parceira foi a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em colaboração com o professor Walter Seiffert, diretor do Centro de Ciências Agrárias (CCA). Durante a semana, várias reuniões internas da rede foram feitas, assim como com o Escritório de Relações Internacionais (SINTER) da UFSC para análise de um possível acordo internacional entre institutos e universidades.

Uma visita foi feita à Estação de Maricultura Professor Elpídio Beltrame (EMEB) na Barra da Lagoa, com foco no Laboratório de Camarões Marinhos (LCM) e Laboratório de Moluscos Marinhos (LMM), e uma visita a fazenda de moluscos “Paraíso das Ostras” no Ribeirão da Ilha. O grupo também visitou a empresa Ad Oceanum com seus suplementos alimentares e produtos do mar.

Para fechar as visitas, o Laboratório de Hidroponia do CCA também foi visitado, com sistemas idropônicos interessante. Também foi realizado um Info Day, reunindo mais de 50 estudantes da UFSC onde o estado atual da aquacultura na Alemanha, infraestrutura existente, áreas de interesse para pesquisa, e possibilidades de programas de apoio financeiro para intercâmbio foram apresentados.

Durante a semana produtiva, vários tópicos emergentes foram identificados para investigação bilateral, incluíndo por exemplo o uso de bioflocos, IMTA (Integrated multitrophic aquaculture), eficiência energética e a questao do TILV (Tilapia Lake Virus).

Coordenador da Rede, Fabio Pereira (TTZ), na reunião de abertura © Björn Suckow

Sheyla Vargas (Agertek) apresentando sua empresa no Info Day

Instalação de processamento da Ad Oceanum © Mirko Bögner

Visita as instalações do LCM da UFSC ©Björn Suckow

Raceway da Fazenda Experimental Yakult – UFSC e Instalações hidropônicas da UFSC © Björn Suckow

Conclusão

A rede BluEco Net está aberta para novos membros e a articipação é gratuita. Caso haja interesse de sua empresa/seu instituto tornar-se membro da BluEco Net, favor contactar Fabio Pereira através do email: aquaculture@ttz-bremerhaven.de

O TTZ Bremerhaven é dedicado à pesquisa aplicada na área de eficiência de recursos, alimentos e transferência de tecnologia. O centro já iniciou inúmeras pesquisas e redes a nível nacional e internacional, por exemplo Wasser und Technik e Fisch, Innovation & Technik (F.I.T.). Aqui a experiência do TTZ com coordenação e cooperação é substantiva, com parceiros de quase todos os Estados-Membros da UE, América Latina (Brasil, Colômbia, México, Chile, Venezuela, entre outros), Ásia e África incluídos. Esta experiência na gestão de cooperação, incluíndo, experiência intercultural, comunicativa e administrativa, levaram à seleção do TTZ como coordenador da rede.