Principal Notícias Cultivo de Algas Chocolate com flocos de microalgas

Chocolate com flocos de microalgas

Chocolate com flocos de microalgas
0

A empresa The Algae Factory surgiu de uma start-up fundada em 2014 e vem inovando no consumo de alimentos com o uso de microalgas. Com sede em Amsterdã, os fundadores da empresa desenvolveram um chocolate com adição de um ingrediente especial: a spirulina.

Segundo eles, a ideia era criar algo novo e interessante agregando esse ingrediente que possui um perfil nutricional bastante completo, como ômega 3 e ômega 6, antioxidantes, vitaminas e alto nível proteico, ao chocolate. Além disso, a spirulina já está disponível no mercado como suplemento alimentar, por isso é facilmente encontrada em comprimidos ou em pó.

“Combinar algas com chocolate foi uma escolha estratégica porque, embora o chocolate não seja considerado muito saudável devido ao seu teor de açúcar, pesquisas de mercado confirmam que o consumo está aumentando”, comentou um dos fundadores da empresa.

Essa combinação é vendida em barras, que pesam cerca de 35 gramas e contêm 3 gramas de flocos de espirulina seca, quantidade que a FAO considera adequada para o consumo diário. Segundo o site da empresa, 15 barrinhas desse chocolate 70% cacau custam € 35,99. A empresa também comercializa flocos de microalgas em pacotes de 100 gramas.

“A textura é crocante, e parece que há nozes ou flocos de arroz dentro, ao invés de algas. Isso é muito apreciado pelos consumidores, pois eles não esperam essa sensação”, comenta Stefania Abbona, uma das fundadoras da The Algae Factory.

Em 2016 a Aquaculture Brasil já havia publicado uma notícia que unia chocolate e microalgas. Porém, nesse caso, os pesquisadores descobriram que uma microalga verde, similar àquelas que produzem espuma nos viveiros de cultivo, é capaz de produzir uma substância química parecida com o açúcar com intuito de proteger-se de situações adversas. Quando refinado, transforma-se em um pó branco, podendo ser utilizada para adoçar produtos! E o melhor, sem adição de calorias! Na época, testes preliminares sugeriram que a substância passa diretamente pelo trato gastrointestinal sem ser digerida. Clique para ler a notícia.

É, parece mesmo que as algas estão “dominando o mundo”…