Principal Colunas Aquicultura Latino Americana FENACAM – mais que uma Feira!

FENACAM – mais que uma Feira!

FENACAM – mais que uma Feira!
0

Não existem dúvidas que a FENACAM é umas das principais feiras de negócios aquícolas da América Latina. As principais empresas do mundo inseridas no mercado brasileiro, ou querendo entrar, vêm apresentar seus produtos e serviços. Renomados conferencistas nacionais e internacionais financiados pelas empresas. A maioria das apresentações são comerciais, porém, longe de tirá-las o mérito. Do meu ponto de vista, a parte acadêmica de apresentações orais e de pôster não são muito relevantes. Como reunião científica, no Brasil, o AQUACIÊNCIA é o evento principal. Nos anos em que a FENACAM fez parte da agenda da Sociedade Mundial de Aquicultura (WAS), como a histórica edição da conferência anual em Salvador, ou nos capítulos Latino-americanos, a parte científica torna-se mais importante. A seção gastronômica lamentavelmente é praticamente inexistente. Eu retiraria como parte das programações do evento.

Das 14 edições devo ter ido a 12. No início os protagonistas eram as fábricas de ração, hoje é a biotecnologia genômica e os manejos intensivos de berçários, juvenis e engorda. A primeira totalmente futurística e a segunda já sendo aplicada com resultados promissores, principalmente pelo fantasma da mancha branca para o povoamento final de uma larva mais robusta. Outro tema coadjuvante e apavorante foi o de doenças emergentes, principalmente o EMS- AHPND. Achei esquisito o pessoal não comentar nada nos corredores sobre a chegada do EMS- AHPND nas larviculturas equatorianas.

Outro dos fatores interessantes que vieram a enriquecer a FENACAM foi a incorporação de temas de piscicultura em suas edições. Isso foi herdado da época do IMNV onde o desespero por alternativas colocou a piscicultura na Feira. Destaque para a palestra de Fábio Sussel, nosso correspondente na TV, divulgando e defendendo a aquicultura em todo canto do País. A palestra de Fábio, como ele mesmo diz, não foi motivacional, mas foi contundente e objetiva, motivando a qualquer um com um pouco de conhecimento na plateia. Fábio mandou um recado muito certo ao setor acadêmico: os pesquisadores precisam de FOCO. Não é possível que numa mesma universidade tenhamos pesquisadores trabalhando em 4 a 5 espécies diferentes. Além disso, mandou outro recado contundente: temos que pesquisar os peixes realmente de destaque na aquicultura brasileira atual: tilápia e peixes redondos.

Voltando ao camarão, palestra magistral do Dr. Daniel Lanza (UFRN), pontuando claramente as consequências de uma possível abertura do mercado para o camarão de fora com relação aos riscos de entrada de novos patógenos. Bela justificativa para ABCC defender a manutenção do fechamento das importações em Brasília! Ninguém reclamou da Fenacam2017 ter sido ruim de negócios. Esperamos que o novo governo e o sindicato de restaurantes não tenham suficiente força para abrir o mercado, despencando o preço salvador na era WSV. Se isso acontecer, a FENACAM 2018 estará banhada de lágrimas.