Principal Artigos Cultivo de Peixes Softwares e aplicativos na Aquicultura – Ferramentas disponíveis e tendências futuras

Softwares e aplicativos na Aquicultura – Ferramentas disponíveis e tendências futuras

Softwares e aplicativos na Aquicultura – Ferramentas disponíveis e tendências futuras
0

Prof. M.Sc. Antonio Glaydson Lima Moreira
Coordenador do Laboratório de Aquicultura
Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do
Ceará – IFCE
Campus de Morada Nova
 
Prof. D.Sc. Renato Teixeira Moreira
Coordenador de Pesquisa e Extensão
Instituto Federal de Educação
Ciência e Tecnologia do Ceará – IFCE
Campus de Morada Nova
drrtm234@gmail.com

A aquicultura é o setor da produção de alimentos que mais cresce no cenário mundial. A produção aquícola global tem apresentado crescimento contínuo nas últimas cinco décadas, de acordo com informações contidas na publicação “Estado Mundial da Aquicultura”, da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, 2016), que apresenta as estatísticas da produção mundial para o ano de 2014. Estimativas realizadas em estudo recente do Banco Mundial previam que no ano de 2030, a aquicultura seria responsável pela metade da oferta de pescado do planeta (World Bank, 2013).

Conforme informam os dados da FAO (2016), o pescado como fonte alimentar no período de 1961 a 2013 cresceu a uma taxa média anual de 3,2%, enquanto o crescimento populacional mundial esteve em torno de 1,6% no mesmo período. Isso significa que a taxa média anual de produção de pescado foi o dobro da taxa de crescimento populacional. Para efeito de comparação em relação à demanda de pescado no mundo, o consumo per capita por pescado passou de 9,9 kg em 1960 para 18,5 kg em 2010, com estimativas preliminares para além de 20 kg no ano de 2014.

No cenário nacional, segundo dados publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2015), a produção total da piscicultura brasileira foi de 483,24 mil toneladas, representando um aumento de 1,5% em relação ao ano anterior e gerando mais de R$ 3 bilhões, que significa 69,9% (R$ 2,7 bilhões) do valor levantado pela aquicultura nacional. Com o avanço da tecnologia e o aumento da demanda por proteína animal, a aquicultura tem ocupado cada vez mais um espaço no cenário mundial, se consolidando como a atividade que mais cresce no agronegócio (FAO, 2016).

A aquicultura como atividade produtiva, deve implementar novos sistemas de produção com melhor suporte tecnológico, que por sua vez já existem e apareceram para dar ao setor um novo status. A atividade aquícola passa a interagir com modernos sistemas de automação e controle por softwares, bem como melhorias promovidas por sistemas de monitoramento remoto que realizam controle de lotes e parâmetros de qualidade de água. Na atualidade, saber planejar, manejar e controlar qualquer empreendimento é de fundamental importância.

A seguir são apresentadas algumas ferramentas já presentes na aquicultura nacional, cujas informações extraídas são relevantes e podem ser um grande aliado do produtor no dia a dia da fazenda.

softwares-e-aplicativos-na-aquicultura-ferramentas-disponiveis-e-tendencias-futuras

Softwares e aplicativos

A Embrapa (2014) destaca que foi crucial para o produtor rural perceber as vantagens das tecnologias desenvolvidas por instituições públicas e privadas, e incorporar tais tecnologias ao sistema produtivo, dando ao país destaque em produções. Embora tal afirmação seja destinada às produções da agricultura nacional, esta também se aplica à aquicultura, uma vez que tal atividade faz parte do agronegócio.

Todo o aporte de inovação tecnológica, principalmente do ano de 2010 até a atualidade, contribui de forma significativa para que a aquicultura se consolide, gerando enormes somas em receitas, distribuídas nas mais diversas atividades do ramo.

A forma como estão disponíveis hoje as ferramentas tecnológicas, quanto a custo e facilidade de desenvolvimento, quando comparado, por exemplo, com o início da atividade aquícola no país, é gigantesco. Neste sentido é apresentado uma lista de softwares e aplicativos* desenvolvidos para a aquicultura (Tabela 1), onde em suas bases de dados encontram-se formas de gestão aquícola, observação e diagnóstico de enfermidades e parâmetros de qualidade de água e até glossários. Todos visando facilitar a execução da atividade.

A grande dificuldade do gerenciamento de empreendimentos aquícolas é gerar e administrar os dados de produção, controle de lotes, biometrias e parâmetros de qualidade de água. A problemática gira em torno da concepção e alimentação de planilhas e gráficos, uma vez que, nem todos possuem expertise para criar tais ferramentas, portanto a solução é anotar em um caderno, que geralmente se perde, suja ou molha, devido à proximidade com a água.

A maioria dos softwares e aplicativos são desenvolvidos com o intuito de auxiliar o produtor no controle de produção e no monitoramento de parâmetros ambientais e zootécnicos, pois já oferecem planilhas e gráficos prontos, bastando apenas a inserção dos dados observados.

“A maioria dos softwares e aplicativos são desenvolvidos com o intuito de auxiliar o produtor no controle de produção e no monitoramento de parâmetros ambientais e zootécnicos.”

softwares-e-aplicativos-na-aquicultura-ferramentas-disponiveis-e-tendencias-futuras

Um pouco mais sobre as ferramentas

O software Aquisys v.1.3, desenvolvido pela Embrapa Meio Ambiente, está disponível online (www.cnpma.embrapa.br/aquisys), como é sugerido no próprio sítio eletrônico, sua funcionalidade é voltada para direcionar às boas práticas de manejo e gestão ambiental da aquicultura. O software consiste basicamente de três “abas” principais: (i) avaliação do sistema de produção, (ii) informações relacionadas à aquicultura e (iii) apoio à gestão ambiental da aquicultura. Sua funcionalidade é completamente intuitiva, consiste em formulários preenchidos online, após responder estes formulários, a plataforma emite imediatamente uma resposta (Resultado da Avaliação), onde sugere as medidas a serem adotadas no empreendimento. Embora necessite de conexão com a internet, a plataforma é bastante prática, fácil de usar, gratuita, fornece sugestões e disponibiliza uma série de circulares técnicas que podem auxiliar bastante o produtor.

Os demais softwares apresentados são todos voltados à gestão do empreendimento, com planilhas prontas e fornecimento de gráficos ao final do preenchimento das lacunas, podendo ou não ter conexão com a internet.

O Aquaweb, da FCA Tecnologia, é um exemplo de aplicativo que realiza o gerenciamento e armazenamento de dados da produção, com planilhas e gráficos prontos, as mesmas características do software. Os aplicativos Aquímetro, AquipescaApp, BlueAqua, AGA e PondGuard são exemplos de aplicativos que realizam cálculos rotineiros do cotidiano nos ambientes de cultivo, tais como: cálculo de conversão alimentar, concentração de compostos nitrogenados, taxa de sobrevivência, dentre outros. Dentre os citados, destaque para o Aquímetro, pois, além da possibilidade de utilizar tanto para piscicultura como carcinicultura, possui uma boa quantidade de parâmetros em sua base de dados e o idioma utilizado é o português. Já o aplicativo Acqua.Farm é uma plataforma de interação para a compra e venda de pescado, basicamente é uma “rede social” de oferta de produtos.

Embora não componham a lista, os aplicativos DocFish, Maximum Converter e Aquarium, são exemplos de como essas tecnologias auxiliam o produtor. São aplicativos que realizam o diagnóstico de enfermidades, conversão de unidades e glossário com um grande número de termos técnicos usados na aquicultura.

Existe uma grande oferta de aplicativos gratuitos, pagos e em português, para aparelhos celulares de plataforma Android, entretanto, para plataforma IOS, a quantidade de aplicativos é limitada e a maioria tem o inglês como idioma. Tal fato se deve a facilidade de desenvolvimento para Android e de programação livre, bem como ao custo de aquisição do aparelho com sistema operacional Android ser menor quando comparado ao IOS.

Conclusões

O campo da tecnologia, de desenvolvimento web e mobile ainda está em ampla expansão. Para o Brasil, em um horizonte próximo, embora já frequente em outros países, os sistemas aquícolas, em sua maioria, serão controlados remotamente com o envio de dados dos viveiros para produtores e técnicos realizarem a interpretação dos dados e tomar medidas preventivas afim de evitar perdas de produção.

É prudente salientarmos também que todos os aplicativos e softwares citados e desenvolvidos, por melhores que sejam, não eliminam a presença de um técnico especializado no ambiente de cultivo, na verdade estas tecnologias são ferramentas de apoio e não a solução para todos os problemas apresentados.