Principal Colunas Hora de virar o jogo

Hora de virar o jogo

Hora de virar o jogo
0

Sempre soubemos que a grande reserva hídrica, a diversidade genética de nossas espécies de peixes, a alta produção de grãos e a vocação para o agronegócio são os pontos que mantem o Brasil como “potencial” produtor aquícola do mundo.

Neste mesmo sentido, dois estados da federação, Mato Grosso e Tocantins, desprezando apenas a diversidade genética de suas bacias hidrográficas, surgem no cenário nacional como destaque devido à eminência de aprovação da criação de tilápia em suas águas.

Estrategicamente sabemos da importância deste fato, pois dois estados com tamanha vocação podem dar a escala que sempre sonhamos para a tilapicultura nacional. Isso porque em suas águas quentes e de qualidade, estes dois estados tendem a melhorar os índices zootécnicos e assim trazer a tão sonhada competitividade à Tilápia do Brasil.

Tal salto previsto demonstra o grande momento de nossa atividade no Brasil. Finalmente sinais de amadurecimento de uma cadeia produtiva passam a ser nossos destaques. Mostram ao Brasil e ao mundo que nosso setor começa a ser uma atividade regularizada. Ao mesmo tempo, os entes públicos de licenciamento mostram maturidade para não mais deixar de licenciar por falta de conhecimento.

Pensando por este lado, ninguém imaginava que o licenciamento ambiental seria protagonista deste novo momento da aquicultura do Brasil e do mundo. Ninguém imaginava que nossos potenciais estão mais próximos do que nunca de sua realização devido à clareza das normas de regularização dos empreendimentos.

Pode ser que este momento entre para nossa história como grande ponto de inflexão de nosso crescimento, e assim, mostre à sociedade brasileira que a iniciativa privada organizada tem condições de mudar nossos rumos. Isso fica claro e é importante ser dito, se não fosse o trabalho de nossas associações, não estaríamos passando por isso. Fica aqui registrado os parabéns a PeixeBR, PeixeSP, Aquamat entre outras associações. Fica também os parabéns à Embrapa, entidade decisora em todo o agronegócio brasileiro e que agora participa também de forma ativa em nossa aquicultura.

Esperamos estar cada vez mais próximos do fim do estigma de “eterno potencial” e de uma vez por todas mostrar porque viemos.

Figura © Jéssica Brol