Principal Notícias Cultivo de Peixes Assistência técnica no Mato Grosso do Sul impulsiona produtividade

Assistência técnica no Mato Grosso do Sul impulsiona produtividade

Assistência técnica no Mato Grosso do Sul impulsiona produtividade
0

No Mato Grosso do Sul, a economia sustentada no mercado da pecuária e agricultura vem abrindo espaço para atividades tão rentáveis quanto a produção de carne, leite e grãos.  Espaços esses ocupados por tanques, água e peixes. Aliás, muitos peixes. Para fortalecer a atividade que está voltando a crescer, os piscicultores do Estado contam com a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

O ATeG Piscicultura é uma linha de ação da instituição, que atua com grupos de piscicultores por meio da Assistência Técnica e Gerencial, com objetivo de melhorar o processo produtivo da piscicultura sul-mato-grossense. “O trabalho desenvolvido, além de visitas mensais às propriedades, também promove capacitação técnica com cursos de FPR – Formação Profissional Rural, incentiva o associativismo e o cooperativismo dos produtores e fomenta a criação de novos canais de comercialização”, explica a gestora do departamento de ATeG do Senar/MS, Mariana Urt.

O Programa surgiu em 2015, sob demanda de grupos de produtores que necessitavam de orientações técnicas para desenvolver esta atividade promissora de forma sustentável. Hoje esse trabalho atende piscicultores de Campo Grande, Jaraguari, Dourados, Ponta Porã e Laguna Carapã.

Segundo o zootecnista o principal desafio é aumentar a produtividade por metro quadrado e também melhorar a conversão alimentar, um índice zootécnico que mede a saúde da piscicultura, influenciando na lucratividade do produtor. “Quanto menor esse índice, mais lucro o produtor pode ter, pois a despesa com a ração será menor.  O objetivo é baixar este indicador em todas as propriedades atendidas e, para isso, já estamos fazendo esse acompanhamento. Tudo isso diminui também o impacto ambiental, já que são menos resíduos e dejetos dos animais no meio ambiente”, diz André mostrando que a alimentação deixou de ser um gargalo no cultivo em Laguna Carapã.

As expectativas são as melhores. “A tendência é manter a produção de tilápia e peixes redondos, e temos perspectivas de alguns produtores iniciarem a criação de pintado.  Além disso, queremos estimular a abertura de outras duas plantas frigoríficas no município de para atender a demanda”, diz o técnico.

Leia a notícia na íntegra no portal SF Agro

tags: