Principal Colunas O RAS que queremos (e precisamos)

O RAS que queremos (e precisamos)

O RAS que queremos (e precisamos)
0

A aquicultura é um ótimo exemplo de multidisciplinaridade, onde para o estabelecimento de uma cadeia produtiva, se faz necessário o conhecimento e desenvolvimento de várias áreas do conhecimento.

A medida em que melhoramos os métodos de produção, consequentemente também precisamos melhorar em disciplinas como: a nutrição e o seu manejo; genética das formas jovens; conhecer melhor os patógenos e as outras áreas que auxiliem no aperfeiçoamento da produtividade. Naturalmente, disciplinas como nutrição e reprodução são tradicionalmente mais estudadas e estabelecidas, pois são a base de qualquer ideia de se produzir pescado.

Os sistemas de tratamento e de recirculação de água, são áreas que começam a ser cada vez mais demandadas, à medida que as produções passam a se intensificar, diversificar e exigir padrões e necessidades antes não estabelecidas. Ainda com um status de novidade, nos encontramos em um período de transição, onde muitas empresas tradicionais cresceram replicando estruturas e materiais ainda bastante rudimentares e que agora precisam ser atualizados.

Dentre os materiais que precisam ser atualizados estão a utilização de grandes quantidades de cascalho ou conchas de ostras como filtro mecânico e biológico. Uma coluna com esses materiais irá reter sólidos que saíram dos tanques e proverá superfície para abrigar bactérias, mas a posterior remoção desses sólidos e manter toda a superfície oxigenada, que são os objetivos diretos, se tornam tarefas muito mais complicadas do que deveriam ser.

Filtros mecânicos precisam ser eficientes, fáceis de limpar e com determinação do tamanho dos sólidos que são retidos. Filtros biológicos precisam ter a superfície específica conhecidas, serem de fácil manutenção e compatíveis com o que o sistema exige.

A utilização de sistemas de desinfecção por ultravioleta e ou ozônio sem o conhecimento das doses aplicadas e requeridas faz com o que, na prática, muitas das instalações recebam doses praticamente homeopáticas, com grande risco de se tornar um prejuízo, ao invés de investimento em segurança.

Para os que possam pensar que métodos artesanais e rudimentares para tratamento e recirculação de água resultam em vantagem e economia perante aos materiais e equipamentos específicos para esse uso, devemos pensar que a aquicultura cresce quando as fazendas utilizam softwares de gerenciamento de produção, alevinos com características genéticas padronizadas, rações balanceadas para a espécie, condição e fase de produção, vacinas eficazes contra patógenos específicos e etc…

As instalações de tratamento e recirculação, nos ajudarão a alcançar melhor eficiência, segurança, qualidade de água quando melhorarmos a nossa nota nessa disciplina.

O RAS que queremos (e precisamos)

Imagem © Marcelo Shei

tags: