Principal Colunas Atualidades e Tendências da Aquicultura Novos Números da Produção de Peixes no Brasil

Novos Números da Produção de Peixes no Brasil

Novos Números da Produção de Peixes no Brasil
0

Ao que tudo indica, finalmente teremos um levantamento da produção brasileira de peixes confiável e atualizada. A Associação Brasileira da Piscicultura (PEIXE BR) comprometeu-se com o setor produtivo em divulgar anualmente os números da produção de peixes referente ao ano anterior. E sobre a produção do ano passado (2016), a entidade realizou evento específico para a imprensa no dia 07 de Fevereiro de 2017 no hotel Golden Tower São Paulo.

Em 2016, a Piscicultura brasileira produziu 640 mil toneladas. Deve-se ressaltar que esta quantia é somente de peixe de criação, não englobando, portanto, a pesca extrativa, bem como a produção de camarões, ostras, mexilhões, algas e demais organismos aquáticos.

Destaca-se que o ordenamento de políticas públicas para qualquer setor e, principalmente, a disponibilização de crédito e linhas de financiamento, demandam estudos sérios que revelem a dimensão do setor. E a Peixe BR reúne estrutura, competência e conhecimento da atividade aquícola brasileira para tal propósito.

Os estados do Paraná, Rondônia e São Paulo, em ordem de volume de produzido, puxaram o crescimento da Piscicultura Brasileira.

O estado do Paraná destacou-se devido à iniciativa de produtores independentes e, especialmente, das cooperativas e seus produtores integrados, os quais investiram na produção intensiva de tilápias em viveiros escavados. Em Rondônia, destaque para os grandes projetos de produção de peixes nativos em viveiros escavados, especialmente o tambaqui. Peixe este que já é possível, inclusive, encontrar nos supermercados da região Sudeste.

No caso de São Paulo, a produção, especialmente de tilápias nos sistema de tanques rede, cresceu em função da expansão dos atuais projetos existentes. A partir da publicação do novo decreto estadual que regulamenta o licenciamento ambiental, que ocorreu no final do ano passado, a expectativa é que produção paulista de peixes cresça ainda mais.

Apesar da queda de produção de tilápias no Nordeste do Brasil, especialmente devido aos baixos níveis dos açudes de Castanhão e Orós, a espécie continua sendo a mais produzida, respondendo por aproximadamente 50% do total. Porém, não será surpresa alguma se este quadro se reverter nos próximos anos, já que as espécies nativas estão vindo com tudo. Ainda que a produção de tilápias continue em ritmo acelerado.

Para este levantamento estatístico, a PEIXE BR consultou os representantes estaduais da entidade, bem como ainda fez o cruzamento de informações entre o volume de ração comercializado e a venda de alevinos. Em estados onde há frigoríficos de peixe em atividade, também se levou em consideração os volumes abatidos. Nota-se nos números que alguns estados apresentaram valores negativos em relação a levantamentos anteriores. Isto demonstra a seriedade com que o trabalho foi feito.

O fundamental é que seja mantido um formato padronizado de colheita de informações, de modo que anualmente seja possível realizar comparações referentes ao desenvolvimento da atividade.

A PEIXE BR se comprometeu a dar sequência neste tipo de levantamento e manter constante a publicação anual destas informações, de modo que este anuário venha a se consolidar como o veículo oficial sobre os números da piscicultura brasileira. Maiores informações e a aquisição do Anuário 2016 podem ser obtidas no site da entidade: peixebr.com.br

tabela-numeros-producao

tags: