Principal Colunas Módulos Mínimo

Módulos Mínimo

Módulos Mínimo
0

A atividade aquícola, assim como a maioria das atividades econômicas, exige que o empreendedor cuide da escalabilidade de seu projeto. Políticas públicas voltadas à aquicultura devem também lembrar do tema e desta forma garantir que seu incentivo não se transforme em dívida para os mais necessitados. Vale lembrarmos que os mais necessitados não possuem noções de escala e isso reforça ainda mais a importância da viabilidade econômica nas políticas voltadas ao setor.

Escalabilidade significa trabalhar com o intuito de garantir que determinado projeto esteja dentro dos padrões mínimos de produção e assim seja viável do ponto de vista financeiro. Este pensamento quando considera nossa atividade torna-se decisivo uma vez que todos os processos produtivos da aquicultura possuem custos fixos altos e estruturas produtivas que se depreciam relativamente rápido.

Nosso objetivo então deve levar em consideração os produtores em prazo estendido, pensando que o mesmo deve ser remunerado na produção, ganhando assim seu sustento e ainda armazenar recursos para a manutenção, modernização e crescimento de suas estruturas de produção. Neste momento uma pergunta pode vir: crescimento? Sim, crescimento, pois a escala é extremamente dinâmica, varia de forma significativa com crescimento setorial e pode deixar de fora quem não o acompanhar.

Não existe uma fórmula mágica de qual é a escala necessária para viabilidade na aquicultura, tudo vai depender dos objetivos do mesmo, que devem levar em consideração o mercado a ser atingido, a mão de obra a ser utilizada e a cadeia de fornecimento de insumos existente na localidade. O objetivo deve definir se a estrutura será familiar ou empresarial e ainda pensar onde queremos chegar e quanto queremos ganhar, deve definir quem o como vão trabalhar as pessoas envolvidas com o processo, para qual consumidor o produto será entregue, quem serão os parceiros da cadeia que farão com que o produto aquícola chegue ao destino final e ainda tentar previamente organizar todos os suprimentos necessários para o desenvolvimento técnico da produção.

No Brasil e no mundo podemos verificar sucesso nos investimentos em todas as escalas: grandes projetos verticalizados, pequenos projetos que se concentram em etapas do processo e até projetos familiares que atuam verticalmente em nichos específicos e assim garantem grande sucesso com valor agregado a seus produtos. Portanto não podemos querer que os módulos mínimos sejam descritos em apenas duas linhas, devemos sim saber da necessidade dos estudos de escala e da definição dos módulos mínimos de produção, pois assim estaremos garantindo o futuro daqueles que investem em nossa promissora aquicultura.

tags: