Principal Notícias Cultivo de Peixes Instituto de pesca ganha novo fôlego para alavancar pesquisas

Instituto de pesca ganha novo fôlego para alavancar pesquisas

Instituto de pesca ganha novo fôlego para alavancar pesquisas
0

Instituto de Pesca recebe investimento de R$ 4,7 milhões para alavancar pesquisas

A pesquisa em aquicultura no Estado de São Paulo ganhará mais fôlego com os 27 novos tanques, de diferentes dimensões, do Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio do Pescado Continental, do Instituto de Pesca (IP) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O secretário Arnaldo Jardim vistoriou na sexta-feira, 3 de fevereiro, as obras, no valor de R$ 4.713.530,94.

A construção já está em fase final e é executada pela Companhia de Desenvolvimento Agrícola do Estado de São Paulo (Codasp). Os tanques serão utilizados para aumentar as pesquisas em sanidade, manejo, genética, reprodução e criação de alevinos.

“Esse investimento feito aqui é um esforço significativo do governador Geraldo Alckmin que precisa dar resultados. Queremos que este seja um Centro dinâmico, realizando atividades no auditório, recebendo piscicultores, orientando o manejo e levando esse dinamismo também para a pesquisa”, pediu Arnaldo Jardim.

Com um investimento de R$ 4 milhões, o Centro foi inaugurado em 2014 e tem capacidade de produção de 64,2 toneladas de pescado por ano. Atualmente, desenvolve cerca de 72 ensaios anuais sobre digestibilidade e desempenho zootécnico e seis ensaios biológicos por mês em sanidade e toxicidade. Faz ainda de 500 a 600 análises mensais de qualidade da água – além de realizar cursos e treinamentos nestas áreas.

O Centro de Pescado realiza também trabalhos de exigência nutricional e desempenho zootécnico de organismos aquáticos; valor biológico de ingredientes de diferentes origens (animal e vegetal) no desenvolvimento e na fisiologia de peixes; teste de toxicidade de produtos quimioterápicos, antibióticos e fitoterápicos, assim como a avaliação de seu potencial uso como medicamento, sanitizante ou pré-biótico.

“Estamos muito ansiosos pelos novos tanques porque, além de garantirem melhores condições de pesquisa, também darão mais chances para que sejam firmadas parcerias com a iniciativa privada”, avaliou Giovani Gonçalves, diretor do Centro, que atualmente conta com uma equipe de oito pesquisadores.

As melhorias foram executadas com a já característica preocupação ambiental da Companhia como guia. “Não há um tanque destes que seja escavado em solo natural. Todos foram construídos em solo compactado, mostrando o nosso zelo com as obras”, contou Henrique Fraga, gerente da regional Noroeste da Codasp.

O investimento atende piscicultores como o criador de lambari Heitor Amantea, que produz anualmente seis milhões de unidades. “Eu já tinha vindo aqui para fazer um curso sobre lambaricultura, que foi muito bom. Agora teremos esse amparo de tecnologia, manejo e prevenção para aumentar a nossa produtividade”, comemorou.

Fonte: saopaulo.sp.gov.br