Principal Colunas Primavera e Reprodução – Casamento Perfeito
0

Primavera e Reprodução – Casamento Perfeito

Primavera e Reprodução – Casamento Perfeito
0

No Hemisfério Sul a primavera tem início no final do mês de setembro e com ela inicia-se a chamada estação das águas. Vários animais encontram nesse momento características ambientais que favorecem o período de reprodução. A base alimentar no meio terrestre, representada pela produção primária composta pelos vegetais (pastagens, árvores frutíferas, leguminosas, entre outras) aumenta a oferta de nutrientes no meio, necessários ao processo de reprodução, que em algumas espécies começa pela presença do cio e, em seguida, pela manutenção da gestação. Nos organismos aquáticos não é tão diferente, pois com a maior ocorrência das chuvas o volume dos cursos d’água naturais aumenta. Um maior aporte de minerais e matéria orgânica são carreados e a produção primária, representada pelas algas, também aumenta. A migração dos peixes, no Brasil conhecida como piracema, renovará o plantel desses animais na natureza. Outras espécies aquáticas acompanham o mesmo panorama, como os anfíbios.

Como sabemos, os anuros, grupo de anfíbios representado pelos sapos, rãs e pererecas, têm o seu apogeu nesta época do ano, uma vez que nos meses mais frios de outono e inverno existem espécies que mantém um metabolismo baixo e algumas até podem hibernar. O Brasil, por ter grande parte do seu território próximo à linha do Equador, possui muitas regiões onde a vida reprodutiva dos anfíbios se mantém em todos os meses do ano, com destaque para as regiões Norte e Nordeste. No entanto, nas regiões Sul, Sudeste e parte da Centro-Oeste, os meses de primavera e verão são responsáveis pela migração de diversos grupos de anuros e pela renovação das suas populações.

Figura 1. Baia de acasalamento natural em ranário comercial (Afonso, 2013).

Figura 1. Baia de acasalamento natural em ranário comercial (Afonso, 2013).

Os dias vão ficando mais longos e as noites mais curtas, a maior incidência luminosa estimula toda uma cascata hormonal responsável pela maturação e produção gonadal. Fato este que faz com que nos sistemas artificiais a luz seja um dos fatores abióticos mais importantes, juntamente com a temperatura. De acordo com Cribb e colaboradores (2013), para mantermos um sistema de reprodução artificial ao longo do ano devemos mimetizar condições ambientais semelhantes ao período primavera-verão, ou seja, temperatura do ar entre 25 e 29 °C e da água entre 21 e 25 °C; fotoperíodo de 12:12 ou 14:10 horas luz:escuro por dia; umidade relativa do ar alta (acima de 80%); e índice pluviométrico alto (simulação de chuvas intermitentes). A presença do som característico das espécies também é uma das marcas destas estações do ano. Os machos cantam chamando suas fêmeas e esse canto é o sinal de que tudo está perfeito para a que a reprodução aconteça. Portanto ele deve estar presente nos procedimentos de reprodução natural e artificial nos ranários comerciais.

Figura 2. Desovas de rã-touro em incubação (Afonso, 2013).

Figura 2. Desovas de rã-touro em incubação (Afonso, 2013).

Saudações ranícolas!