Principal Notícias Cultivo de Peixes O uso de insetos na elaboração de rações para aquicultura

O uso de insetos na elaboração de rações para aquicultura

O uso de insetos na elaboração de rações para aquicultura
0

Uma nova abordagem na aquicultura é o uso de insetos na nutrição de organismos aquáticos visando uma alternativa proteica às fontes tradicionais, como farelo de soja e farinha de peixe. Uma criação em grande escala de insetos poderia garantir uma fonte de proteína com alta qualidade e, quem sabe, a preços competitivos.

Os insetos crescem e se reproduzem facilmente, têm alta eficiência na conversão alimentar e podem alimentar-se de resíduos orgânicos. Outra vantagem é que os insetos não competem com recursos alimentares e/ou uso de terra.

Em relação ao valor nutricional, existem vários estudos que evidenciam os insetos como um potencial ingrediente para ração animal. Um exemplo conciso é que os insetos são itens alimentares naturais em dietas de aves, suínos e de uma ampla variedade de peixes.

Atualmente o uso de farinha de inseto ainda está em fase experimental. Insetos como larva de tenébrio comum, barata cinérea, larva de mosca soldado, larva de mosca doméstica e larva de borboleta já foram testados e mostraram um grande potencial para utilização em formulações de dietas para diversas espécies de peixes, como o catfish, tilápia, truta arco íris, pargo, salmão do Atlântico, robalo europeu e algumas espécies de camarões (camarão branco do Pacífico e camarão da Malásia), substituindo ou complementando a farinha de peixe na nutrição de organismos aquáticos.

Segundo a FAO, dois bilhões de pessoas no mundo se alimentam de insetos. Eles estão à venda nos mercados populares das pequenas cidades ou presentes no cardápio de restaurantes de luxo nos grandes centros. No Japão, as larvas de vespas são populares e na Tailândia, formigas também são alimentos comuns. Em vários países africanos, cupins são fritos, defumados ou cozidos no vapor. Atualmente, há 1,9 mil espécies de insetos comestíveis.

Quem sabe, no futuro, nossos peixes e camarões consumirão insetos, em grande escala, em suas dietas artificiais?

Fonte:
www.entologics.com
www.animalsciencepublications.org/publications/af/articles/5/2/37